Uma trollagem recorrente

trollagens e trollagens. Tem a mera brincadeira, mas o bullying cruel também. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. No virtual e na real.

No caso dessa foto, a trollagem é molecagem real de um fotógrafo, Mark Gubin, que mora na rota do Aeroporto Internacional Mitchell, em Milwaukee, a maior cidade de Wisconsin, nos Estados Unidos.

“Bem-vindo a Cleveland”, escrito em letras garrafais no telhado da sua residência, saúda os passageiros que aterrissam. Refere-se a uma cidade de outro estado, Ohio. E prega uma peça nos mais distraídos que acreditem estar sobrevoando a cidade errada.

O curioso é que esse gaiato mantém o telhado escrito assim desde 1978. Sim, quando o verbo trollar sequer existia, muito menos a internet. Em 2005, quando já tinha 62 anos de idade, Mark Gubin contou como teve essa ideia ao Milwaukee Sentinel. E, agora, The Independent desenterrou a história de novo.

De tempos em tempos ela ressurge na mídia americana. Trollagem em loop há quase 40 anos.  The neverending story.

Chamo a atenção para um artigo que Marqueteiros publicou hoje do João Priolli: “Um exército de trolls combate para Putin“. Delícia de história.

Por fim, com perdão por tantos anglicismos, quem quiser pesquisar sobre o tema, leia “Significado de Trollar” e “O que são ‘trolls’ e o que é ‘trollagem’“?

 

trollface_by_lemmino

Troll Face ©2013-2015 LEMMiNO

Sem comentários

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS. Vice-Presidente do Grupo de Planejamento. Presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Fotógrafo amador, blogueiro e pescador idem. Saiba mais
  • Últimas do Instagram