Trolar, uma nova forma de fazer propaganda

Startup financeira dirigida por mulher e voltada para mulheres faz campanha trolando a misoginia do Donald Trump com a frase “Mulheres de New York: Protejam $ua Bunda”, aplicada sobre silhueta do presidente.

Sallie Krawcheck – Wikipedia Commons (Photo by Noam Galai/Getty Images for TechCrunch)

Sallie Krawcheck já foi alta gestora, executiva e financeira de organizações como Merrill Lynch, Smith Barney, Citigroup e Bank of America. Atualmente é CEO e co-fundadora da EllevateNetwork, uma financeira cujo público alvo são mulheres jovens, dos 20 aos 30 anos, às quais sugere: “Conecte-se. Aprenda. Invista”. Sallie declarou ao Business Insider:

Nossa missão é ajudar as mulheres a evoluírem no trabalho, para o seu próprio bem e para o bem comum. Estamos empenhadas em mudar a cultura dos negócios de dentro para fora, investindo nas mulheres.

As funcionárias da EllevateNetwork participaram dos protestos contra o Donald Trump, que foram mais intensos em Nova Iorque do que no resto dos Estados Unidos. Portanto, nada mais acertado do que trolar o homem em displays de rua da cidade, apesar de 42% das mulheres terem votado nele, a maioria delas brancas. Acrescentou a Sallie Krawcheck:

Você não pode ser tudo para todo mundo.

 

Sem comentários

Comente

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS e do Grupo de Planejamento de São Paulo. Ex- Presidente e atual consultor do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Saiba mais