Quanto menos desenvolvido o país, maior o peso da religião?

As nacionalidades em que o islamismo predomina são as que declaram levar a religião mais a sério para pautar a conduta. O Brasil é o primeiro país cristão nessa lista.

Segundo a Pew’s 2015 Global Attitudes Survey (Pesquisa Global de Atitudes) os preceitos religiosos são mais influentes no dia-a-dia dos habitantes de países africanos e asiáticos.

É o tipo de informação que alimenta a percepção generalizada, mas simplista e equivocada (até prova científica em contrário), de que os países mais religiosos são os mais atrasados. Ou seria vice-versa, os mais atrasados são os mais religiosos?

O gráfico abaixo mostra a porcentagem da população que afirma ser a religião essencial na vida, por país.

As 15 nações de maior religiosidade são Etiópia, Senegal, Indonésia, Uganda, Paquistão, Burkina Faso, Tanzânia, Gana, Nigéria, Filipinas, Quênia, Malásia, Jordânia, Índia, Territórios Palestinos e… em 16º lugar, o Brasil!Praying

Os outros países em que mais da metade do povo diz que a religião é importante na vida, além do Brasil (74%) , são a África do Sul (67%), o Perú (66%), o Líbano (64%), a Turquia (56%) e os Estados Unidos (53%).

Uma verdadeira salada, suficientemente eclética para enterrar a hipótese de que a religiosidade e o atraso andam invariavelmente de mãos dadas.

Interessante também é notar o elenco de países em que somente menos de 20% da população admite que a religião tem influência nas suas decisões e escolhas cotidianas.

Esse elenco constitui outra salada eclética: China (3%), Japão (11%), França (14%), Austrália (18%), Córeia do Sul (19%) e Rússia (19%).
Infographic: Which Nationalities Consider Religion Most Important? | Statista

Sem comentários

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS. Vice-Presidente do Grupo de Planejamento. Presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Fotógrafo amador, blogueiro e pescador idem. Saiba mais
  • Últimas do Instagram

    • Últimas do Twitter