Blues do homem-faz-tudo

O homem-faz-tudo é um animal extinto? Não se fazem mais maridos, namorados, amigos, primos ou irmãzinhos que consertam tudo, como antigamente?

handymanEntão seria por isso que se tornou atraente o negócio do Marido de Aluguel?

Aliás, um bom conceito, mas um nome arriscado, que poderia, com o tempo, atrair más conotações. Contudo, desde que continue bombando e a superar dissabores semânticos, está valendo, prospera.

Por outro lado, me pergunto: o homem-faz-tudo não seria uma caricatura reversa do estereótipo da dona-de-casa? Já que ela não existe mais também, como no passado, haveria espaço para um negócio atraente de dona-de-casa de aluguel? Acho que não.

Tudo isso me ocorreu ao rever um vídeo de 2013 com a trilha de “Handyman Blues” do músico britânico Billy Brag  –  mais para caminhoneiros amolecidos do que para machistas convictos. Um clipe curioso, engraçado.

Segue abaixo a letra original e a minha tradução, despreocupada.

Nunca serei o homem-faz-tudo na casa, como era meu pai

Então pare de me pedir pra botar um trilho de cortina, porque

Mexer com esse negócio de chave-de-fenda me confunde,

Levo meia hora para trocar um fusível e

quando mexi no interruptor as luzes se apagaram todas.

Não sou seu homem-faz-tudo.

I’m never gonna be the handyman around the house my father was
So don’t be asking me to hang a curtain rail for you, because
Screwdriver business just gets me confused
It takes me half an hour to change a fuse
And when I flicked the switch the lights all blew

I’m not your handyman

Não espere que eu pendure prateleiras nem construa barracão no jardim

Mas posso escrever uma canção que conte ao mundo o quanto eu a amo

Não sou bom oleiro, mas trocando as letras dessa palavra posso rearrumá-las

E achar um jeito de usar a poesia para garantir uma proteção sobre nossas cabeças.

Don’t be expecting me to put up shelves or build a garden shed

But I can write a song that tells the world how much I love you instead
I’m not any good at pottery so let’s lose the ‘t’ and just shift back the ‘e’
And I’ll find a way to make my poetry build a roof over our heads

(NT: impossível fazer o jogo de palavras entre pottery  – cerâmica  – tirando um “t” e antecipando um “e” para virar poetry – poesia)

Eu sei que parece que estou só lendo o jornal,

Mas tenho ideias que se tornarão ouro em pó

Pois sou um escritor, não um decorador…

Não sou seu homem-faz-tudo.

I know it looks like I’m just reading the paper
But these ideas I’ll turn to gold dust later
Cause I’m a writer not a decorator…

I’m not your handyman

 


Música e letra de Billy Bragg  –  Direção de vídeo Johnny Vegas

 

Billy-Bragg

 

1 Comment

  1. Osmilto Santos

    08/04/2015

    Muito bom post, valoriza nosso ramo de atividade.
    http://www.atecnolar.com.br

    Reply

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS. Vice-Presidente do Grupo de Planejamento. Presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Fotógrafo amador, blogueiro e pescador idem. Saiba mais
  • Últimas do Instagram