Corrida de drones é o novo esporte radical

Será que já existe criança querendo ser piloto de corrida de drone quando crescer? Talvez não, mas o novo esporte está se espalhando a olhos vistos. Associações e ligas proliferam, regulamentando e organizando competições em todo o mundo.

shutterstock_440521096Uma delas é a DRL, Drone Racing League, que realizou em 2015 o primeiro torneio em Nova Iorque (Gates of Hell – Portões do Inferno) e o segundo em 2016 na Flórida (Miami Lights – Luzes de Miami).

DRL possui um canal no YouTube, onde os vídeos das corridas realizadas e os anúncios de novas competições podem ser vistos. UM exemplo é o vídeo acima.

Outra entidade é a IDRAInternational Drone Racing Association, que se uniu à coreana KDRA para realizar o Drone Racing World Masters Competition 2016, agora em agosto.

No Brasil, encontram-se no Facebook as páginas de Drone Racing Brasil e A.B.M. (Associação Brasileira de Multirrotores) e , na web, o site da A.B.D. (Associação Brasileira Drones). Mas não achei nenhuma reportagem sobre corridas oficiais de drones ou VANTs (Veículo Aéreo Não Tripulado) em nosso país.

pilotosA mais famosa das feiras da aviação, Farnborough International Airshow, já inclui no seu calendário a corrida de drones: FPV Drone Racing Masters.

Em março passado, um adolescente britânico ganhou 250 mil dólares vencendo o World Drone Prix em Dubai, um dos maiores eventos do novo esporte. Cerca de 1 milhão de dólares foram distribuidos em prêmios, 150 equipes de todo o mundo competiram e mais de 2.000 pessoas assistiram as corridas in loco.

Os 2016 World Drone Racing Championships, organizados pela Drone Sports Association, a maior de todas as ligas, passarão a ser transmitidos pela ESPN a partir da corrida de New York, que ocorre nesta semana entre os dias 5 e 7 de agosto.

Em outubro, a ESPN cobrirá também a segunda corrida dos 2016 World Drone Racing Championships, a se realizar no Kualoa Ranch, na Ilha de O’ahu, no Havaí.

droneracing2Os torneios acontecem em grandes espaços, ao ar livre ou fechados, em estádios esportivos vazios, instalações industriais desocupadas ou grandes edificações abandonadas. Uma coisa em comum todos os espaços têm: são cheios de obstáculos no caminho dos drones.

Os pilotos dirigem os aparelhos remotamente, usando o que em inglês se chama “first-person-view goggle”  –  um visor que mostra a cena à frente do aparelhinho aéreo, do ponto de vista de quem o está pilotando. Os pilotos testam suas habilidades voando a até 100 km/h, se desviando de obstáculos e cumprindo rotas pré-determinadas .

O vídeo abaixo do New York Times dá uma demonstração da prática desse esporte.

Além de ver este vídeo, leia o artigo do NYTimes: “Gentlemen, Start Your Drones“. Ele revela as origens e as peculiaridades desse novo esporte, cuja cultura e cuja prática prometem ser tão ou mais disseminadas que as a do skate ou do surf.

Em português, leia  o artigo do blog TechMundo. O Fantástico da Globo também fez matéria especial em fevereiro: “Conheça a ‘Fórmula 1 dos ares’: a corrida de drones“.

droneracing

Sem comentários

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS. Vice-Presidente do Grupo de Planejamento. Presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Fotógrafo amador, blogueiro e pescador idem. Saiba mais
  • Últimas do Instagram