Não gosto da ideia de enxergar pela janela, ou olhar para cima e ver (ou não ver), pairando, um drone que me observa, registrando o que faço.

Drone + smartphone = propaganda dirigida

A AdNear está experimentando usar drones e aplicativos para anunciar no smartphone de pessoas que estejam na hora e no local desejados.

Antes desse método, já se especializara em ações de marketing baseadas na localização das pessoas. Mais do que simplesmente propaganda, a AdNear se apresenta como uma agência que oferece serviços de location intelligence for data driven marketing  –  “inteligência de localização para o marketing movido a informações”, em livre tradução.

Em outras palavras, oferece serviços para explorar big data ou quantidades gigantescas de informação, que são processadas para dar nexo e direção a ações de marketing.

Location based services não são nenhuma novidade. Muitas empresas oferecem serviços personalizados de acordo com a posição do alvo, no Brasil e no mundo. São úteis em contextos diferentes, desde a identificação da localização de uma pessoa ou objeto até o rastreamento de encomendas e veículos. Normalmente, dependem de satélites de GPS, mas esse não é o caso da AdNear.

Ela usa métodos proprietários para coletar dados das pessoas no solo, através de bicicletas, carros, trens, torres de celular e estações de wifi. Assim, sem depender de GPS ou operadoras de telefonia móvel, já mapeou 530 milhões de pessoas em diversos mercados da Ásia para um lista invejável de clientes, como se pode ver no seu site.

pic1Há um mês a AdNear anunciou no seu blog: ” Hoje começamos os testes iniciais para coletar dados através de drones. Os resultados tem sido fantásticos. E o método tem se revelado o mais eficiente de todos!”

Logo em seguida a Forbes saiu com essa notícia alarmante: “Drones estão interceptando sinais de celular em L.A.” Afinal, o uso de drones apenas começa a ser regulados nos EUA e isso não foi previsto até agora.

Para as marcas, isso pode significar mais informação para se obter insights e se conectar com a audiência com muito mais precisão, diz a AdNet.

A ver onde tudo isso vai parar. Não gosto da ideia de enxergar pela janela, ou olhar para cima e ver (ou não ver), pairando, um drone que me observa, registrando o que faço.

Fontes: AdNear, Forbes, CrazyEngineers

Sem comentários

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS. Vice-Presidente do Grupo de Planejamento. Presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Fotógrafo amador, blogueiro e pescador idem. Saiba mais
  • Últimas do Instagram