Abaixo o e-mail do chefe, fora de hora

A partir de 1º de janeiro de 2017, uma nova lei trabalhista francesa estabeleceu o “direito de se desconectar” em toda empresa com mais de 50 funcionários, informou The Guardian. Patrões e empregados devem negociar o que pode e o que não pode ser comunicado fora de hora, bem como o direito dos trabalhadores de ignorar o que for.

O uso abusivo das tecnologias digitais de comunicação por parte de empregadores é responsável por distúrbios do sono, crises de ansiedade, problemas de relacionamento e desequilíbrio emocional. O instituto de pesquisa Eleas divulgou há poucos meses que mais de um terço dos franceses trabalha além da jornada regulamentar, usando dispositivos digitais. Cerca de 60% dos trabalhadores são a favor de uma nova legislação para coibir tal ocorrência.

Myriam El Khomri, Ministra do Trabalho da França, justifica a mudança na legislação. Afirmou a The New York Times que faz bem para as pessoas não ter de trabalhar o tempo todo e que “a fronteira entre a vida profissional e a pessoal se tornou tênue” em demasia. Os trabalhadores têm o direito de limitar a intrusão do empregador no descanso do lar, durante as férias ou no fim de semana com a família e os amigos.

Procura-se combater assim o problema da cultura doentía do “workaholicismo”, da qual se orgulham muitas empresas e, infelizmente, alguns empregados, motivados pela manutenção do emprego ou ascensão na carreira.

Apesar da nova lei trabalhista ser um avanço inegável, não existe ainda uma penalidade prevista em caso de infração por parte da empresa. O que a nova lei preconiza é que empregados e empregadores se acertem e combinem as regras de como isso será tratado entre ambos. Já é um progresso, comparado ao Brasil.

Aqui, os abusos são constantes,  incontáveis, principalmente nas agências de propaganda onde trabalhei por cerca de três décadas. É comum a jornada de trabalho se estender por mais de 8 horas, noite adentro. Assim como é comum levar trabalho para casa. Ou ir trabalhar na firma no fim-de-semana. E receber telefonemas ou mensagens do chefe ou dos colegas sobre um serviço em andamento, nos períodos de descanso.

Sem comentários

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS. Vice-Presidente do Grupo de Planejamento. Presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Fotógrafo amador, blogueiro e pescador idem. Saiba mais
  • Últimas do Instagram