40 anos da ‘Rapsódia Boêmia’ do Queen, em balé, coral e cordas

Bohemian Rhapsody é um dos mais estranhos fenômenos musicais que se conhece. Uma obra longa, enigmática, complexa, sem refrão e imensamente popular.

Foi eleita em 2008 como a melhor música popular da história, no Reino Unido.

Lançada como single no dia 31 de outubro de 1975 e presente no álbum A Night at the Opera, essa composição quase surreal da bnda britânica The Queen completou o 40º aniversário, no ano passado. Mashable publicou um artigo com 16 fatos curiosos sobre ela: 16 surprising facts about ‘Bohemian Rhapsody’ as it hits 40.

A crítica especializada considera Bohemian Rhapsody “um poema sinfônico, rapsódico e operístico em miniatura.” Contém pelo menos  seis estilos de música diferentes nos seus quase seis minutos de duração e requer extrema habilidade musical para ser bem tocada.

ballet2

Getty Image courtesy

ballet

Courtesy of the English National Ballet

Cantá-la inteira, com perfeição, não é tarefa fácil. É preciso ter o incrível alcance de voz que tinha Freddie Mercury, comparável ao de Luciano Pavarotti.

Ou seja, não é para qualquer um. No entanto, é um dos maiores sucessos do karaokê britânico.

Na era da Internet, virou febre no YouTube e uma simples busca retorna quase 2 milhões de hits, entre apresentações do Queen, homenagens, covers, paródias, montagens e mashups.

Se tocar ou cantar já é difícil, imagine dançar. Pois foi o que o English National Ballet fez no  aniversário dessa obra prima da música popular. Dois dos seus principais bailarinos, Erina Takahashi e James Forbat, interpretaram uma coreografia de James Streeter, neste vídeo acima, especialmente gravada durante um ensaio em Londres.

Duas outras iguarias da celebração do 40º aniversário de Bohemian Rhapsody no Reino Unido merecem destaqueUma delas foi a interpretação emocionante do Trinity Boys Choir no final de 2015, que pode ser vista no vídeo abaixo.

A Rolling Stone elogiou a performance maravilhosa dos meninos e apontou a outra guloseima, que foi a interpretação do grupo de cordas The Behn Quartet, formado por estudantes da Royal Academy of Music. Impressiona a transposição das vocalizações alucinantes de Freddie Mercury para os violinos e violoncelos.

1 Comment

  1. Hosting

    04/01/2016

    A Indiana University Studio Orchestra pegou na rapsodia dos Queen e adaptou-a para orquestra sinfonica. Violinos, violas de arco, trompetes, flautas transversais e ate uma harpa fazem as vezes do baixo, da guitarra e do piano, numa versao que vale a pena escutar com atencao.

    Reply

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Planejador de marca e comunicação. Fundador da agência NBS. Vice-Presidente do Grupo de Planejamento. Presidente do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Fotógrafo amador, blogueiro e pescador idem. Saiba mais
  • Últimas do Instagram